Astronáutica, CACEP na Mídia, Estação Espacial, Eventos de Astronomia, Exposições, Foguetes, Objetos celestes, Planetas, Satélites, Vídeos

Eclipse Anular do Sol em 26 de fevereiro de 2017

O eclipse anular do Sol será visível no dia 26/02/2017 numa faixa muito estreita que começa no Oceano Pacífico, passando pela região sul da América do Sul (Patagônia) atravessando depois o Oceano Atlântico Sul e terminando no sudoeste da África (sendo visível também em Angola).

Na sua forma parcial poderá ser observado na região central e sul da América do Sul, parte da Antártida e parte da África.

  

Siluetas da Lua Cheia

Este vídeo, gravado por Mark Gee em 28 de janeiro de 2013, mostra em tempo real a Lua surgindo sobre o Monte Victoria localizado em Wellington, Nova Zelândia.
As pessoas que aparecem no vídeo haviam se reunido naquele local para obter a melhor vista possível da Lua Cheia nascendo no horizonte.
Mark capturou o vídeo do outro lado da cidade, estando a 2,1 km de distância do Monte Victoria.
Ele usou uma Canon EOS 1D MkIV com uma objetiva Canon EF 500mm f/4L e um duplicador focal Canon 2x extender II, dando-lhe a distância focal equivalente a de uma objetiva de 1300mm.
O vídeo abaixo não passou por nenhuma manipulação digital adicional, é exatamente o arquivo original capturado pela câmera dele.
Neste vídeo sensacional, Mark Gee aproveita-se da ilusão ótica da Lua vista no horizonte (onde aparenta ser bem maior que na realidade) agregado ao grande aumento da imagem criado pela teleobjetiva que ele usou que faz com que objetos bem distantes entre si também pareçam que estão bem próximos um do outro, dando este efeito maravilhoso que você pode conferir no vídeo abaixo.

Juno e sua jornada de 5 anos até Júpiter

Nesta terça-feira (05/07/2016) à 0h54 (Horário de Brasília), após 5 anos viajando no espaço e 2,8 bilhões de quilômetros percorridos, a sonda espacial Juno, da Nasa, entrou na órbita de Júpiter.

Eclipse Total do Sol em 08/03/2016 direto da Indonésia

Assista a gravação do Eclipse Total do Sol que foi transmitido ao vivo da Indonésia pelo Projeto Slooh.
A transmissão do eclipse total do Sol começou às 20h, horário de Brasília (GMT -3h), do dia 08/03/2016 e foi realizada na cidade de Palu, na Indonésia. O vídeo foi apresentado por Paul Cox um dos astrônomos do Projeto Slooh.

Este eclipse total foi visível somente na Indonésia. O eclipse pode ser visto como parcial na parte leste da Ásia, norte e oeste da Austrália e norte da Oceania.

Os dados abaixo do eclipse são com base nas informações divulgadas pela NASA.

Início do eclipse parcial (entrada na penumbra): 20:19 (GMT -3h)
Início do eclipse total (entrada na umbra): 21:15 (GMT -3h)
Máximo do eclipse: 22:57 (GMT -3h)
Fim do eclipse total (saída da umbra): 00:38 (GMT -3h)
Fim do eclipse parcial (saída da penumbra): 01:34 (GMT -3h)

Obs: Os horários apresentados acima têm como base o Tempo Legal - Hora de Brasília. Fuso de -3h (menos três horas).

Abaixo temos uma imagem ilustrando como o eclipse solar ocorre na Terra.

 
A imagem a seguir foi capturada pelo Projeto Slooh.
Capturada em 08/03/2016 às 21h12 (GMT -3h, horário de Brasília)

A imagem a seguir foi capturada pelo Projeto Slooh.
Capturada em 08/03/2016 às 21h42 (GMT -3h, horário de Brasília)

 
 
Temos abaixo um infográfico da NASA com mais informações sobre este eclipse total do Sol.
Clique na imagem para ampliar.
 
 

O astrônomo Felipe Braga Ribas participa de entrevista na RPC

Foi exibido no dia 31/08/2015 no Bom Dia Paraná da RPC, no quadro "VC no Mundo" da Thays Beleze, a entrevista do nosso membro e astrônomo profissional, Felipe Braga Ribas, onde ele conta sobre a sua trajetória na astronomia e a descoberta dos anéis de Chariko.


Imagem: Reprodução/RPC

Veja a reportagem completa no portal G1 da RPC clicando aqui.

Também teve uma matéria complementar com o Prof. Amauri falando sobre a participação da comunidade nas visitas ao observatório, que também poderá ser vista clicando aqui.

Aproveitamos também para deixar registrado o nosso respeito e o extremo orgulho que temos pelas conquistas do Felipe. Ele foi um dos membros que participou ativamente e por tantos anos no CACEP.

Série ABC da Astronomia

O ABC da Astronomia é uma série produzida pela TV Escola que viaja pelo alfabeto da língua portuguesa e, em 30 episódios, apresenta os principais conceitos da ciência que estuda as estrelas. A cada programa, o professor e astrônomo Walmir Cardoso nos mostra um tema derivado de uma letra. Animações, fotos espaciais e imagens de arquivo complementam a viagem espacial que traz, como grande diferencial, o ponto de vista do hemisfério sul sobre os temas e conceitos.
 

Documentário Estrelas

A vida no Universo só é possível graças às estrelas. Além da sua importância como fonte de energia, as estrelas também fazem parte da mitologia, da religião e da ciência.
Este documentário foi produzido para o curso de Cinema Digital do Centro Europeu de Curitiba em 2015.
O documentário teve a participação dos membros do CACEP: João Carlos de Oliveira e Fabiano Diniz.

Infelizmente os produtores deste vídeo bloquearam a incorporação do vídeo em outros sites, mas deixo aqui o link para quem quiser assistir o documentário: https://www.youtube.com/watch?v=jUoi-3OeWvA

Timelapse da Terra realizada a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) em resolução 4K

Um maravilhoso timelapse da Terra realizada a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) em resolução 4K.
Clique na opção do Youtube para ver na tela inteira e fique maravilhado com as imagens.

O módulo robô Philae realiza um pouso histórico no cometa 67P/Churyumov-Gesasimenko

O módulo Philae pousou nesta quarta-feira (12/11/2014), às 14h03 (horário de Brasília), na superfície do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko.
Este cometa foi descoberto em 1969 e estava a aproximadamente 500 milhões de quilômetros de distância da Terra no momento do pouso.

Copyright: ESA/Rosetta/Philae/ROLIS/DLR

A imagem acima mostra o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko durante a descida do módulo Philae.
Esta imagem foi realizada pelo instrumento Rolis do módulo robô que estava a uma distância de cerca de 3 km a partir da superfície. O local de pouso foi fotografada com uma resolução de cerca de 3m por pixel.

Divulgar conteúdo