Saída de campo no dia 20/03/2004


Local:
Chácara da APP-CEFET, campo de futebol (São José dos Pinhais)

Condições de horizonte:

  Oeste: comprometido por árvores altas
  Norte: poluição luminosa (Curitiba)
  Leste e Sul: livres a partir de 10 graus 

Fase da lua: Nova

Condições meteorológicas: Nebulosidade instável, com vento (mas sem chuva), céu parcialmente ou totalmente limpo durante longos intervalos.

Número de participantes: 15 
  - 8 sócios do CACEP 
  - 7 visitantes (principalmente familiares e outros interessados)

Instrumentos utilizados:
  - Telescópio de 28cm (Sandro)
  - Telescópio de 15cm (Lucas)
  - Luneta (Mário Sérgio)
  - Binóculos

Planetas observados: 

  • Júpiter
    - Situação excepcional com dois satélites galileanos na frente do planeta (Io e Ganimedes), e outro atrás (Calisto), cerca de 3h do dia 21 (hora local)
  • Saturno
    - Excelente visibilidade dos anéis, com a divisão de Cassini

Veja agora os objetos observados e suas constelações

     * Obs: foi dada prioridade aos objetos do céu de verão, tendo em vista que a última saída de campo programada não ocorreu, devido a condições meteorológicas extremamente desfavoráveis (o que aliás, foi quase uma constante nos meses de dezembro e janeiro).

     Além de M47 e M46, já observados em atividades do CACEP, foram identificados os aglomerados abertos NGC 2451 e NGC 2477 (são objetos brilhantes, mas que não constam no catálogo Messier devido à sua alta declinação sul).

NGC 2451 (Puppis)

Right Ascension 07 : 45.4 (h:m)
Declination -37 : 58 (deg:m)
Distance 0.85 (kly)
Visual Brightness 2.8 (mag)
Apparent Dimension 45 (arc min)

 

NGC 2477 (Puppis)

Right Ascension 07 : 52.3 (h:m)
Declination -38 : 33 (deg:m)
Distance 4.2 (kly)
Visual Brightness 5.8 (mag)
Apparent Dimension 27 (arc min)

 

    Localização: A localização dos aglomerados abertos NGC 2451 e NGC 2477 não é difícil, podendo-se tomar como ponto de partida a estrela Aludra (ponta do rabo do Cão Maior), em direção a zeta Puppis (Naos); são dois aglomerados bastante próximos entre si. 

 

 

M1 (Taurus)

     Outro objeto que pela primeira vez foi observado com clareza, graças ao telescópio de 28cm, foi a Nebulosa do Caranguejo (M1, Taurus). Fica próxima à estrela zeta Tauri (ponta do chifre sul).

Right Ascension 05 : 34.5 (h:m)
Declination +22 : 01 (deg:m)
Distance 6.3 (kly)
Visual Brightness 8.4 (mag)
Apparent Dimension 6x4 (arc min)


 

M42 (Orion)

     Apesar de já ter sido observada anteriormente, vale citar as condições mais favoráveis, devido à sua proximidade do zênite, para a nebulosa de Orion (M42). Os filamentos da estrutura estavam bem claros, assim como a sua separação da nebulosa vizinha M43 (na fotografia, é o objeto em forma de gota, ao norte do “trapézio”).

Right Ascension 07 : 52.3 (h:m)
Declination -38 : 33 (deg:m)
Distance 4.2 (kly)
Visual Brightness 5.8 (mag)
Apparent Dimension 27 (arc min)

 

NGC 3372 (Carina)

     Também é digno de nota o aspecto impressionante, no telescópio de 28cm, do agrupamento Eta Carinae (nebulosa NGC3372 e a nebulosa escura do “buraco da fechadura”, NGC3324). O brilho da região é visível a olho nu, entre o Cruzeiro do Sul e a Vela (“Falsa Cruz”). É a nebulosa de campo mais amplo de todo o céu (maior que a de Orion). Também é interessante comentar que a estrela Eta Carinae em si é bastante peculiar, tendo sido já de primeira magnitude até 1841, quando sua atividade excepcional lançou o material que hoje forma a Nebulosa “Homunkulus”.

NGC 3372 (Carina)
Right Ascension 10 : 43.8 (h:m)
Declination -59 : 52 (deg:m)
Distance 10.0 (kly)
Visual Brightness 1.0 (mag)
Apparent Dimension 120x120 (arc min)

 

     Além dos objetos relacionados acima, foram repetidas observações de objetos já mencionados em atividades anteriores. A Grande Nuvem de Magalhães estava particularmente brilhante, com a Nebulosa da Tarântula facilmente identificável ao binóculo.
     Nesta saída de campo não foi registrada nenhuma imagem astronômica por causa do tempo instável no local de observação.
     Infelizmente também não foi possível a observação dos aglomerados abertos M36 e M37 (Auriga), pois a nebulosidade só se dissipou ao norte depois que a constelação já tinha se ocultado.

 

    Avaliação final: Apesar das condições meteorológicas estarem longe do ideal, concluímos que a saída de campo foi bastante produtiva. Esperamos melhores oportunidades para os próximos verões.

 

Relatório escrito por:

  • Mário Sérgio Teixeira de Freitas